Loading...

domingo, 16 de maio de 2010






... aromas recolhidos em cartas
que navegam em mares sustentáveis
por beijos e lembranças do tempo
que nos faz eterna criança ...

5 comentários:

Angel disse...

E assim nasce a saudade... de um aroma, uma palavra, uma lembrança... Há tantos momentos que valeriam a pena ser repetidos...

Abraço, Cria!

SolBarreto disse...

Nos fazem crianças, nos fazem viajar ha um tempo...distante, perdido como fui agora com seu poema...

Laurinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Muito bom, você é ótima.

Sandra Waihrich Tatit disse...

Olá! Cria, como estás?
teu blog está lindo, imagens e poemas tão bonitos, hoje resolvi deixar esta mensagem. Então, cada vez mais dedicada à poesia, passo aqui algumas vezes, só não escrevo.
Bem, só quero registrar a minha presença, sempre lembro de ti, poetisa.
Uma boa noite e um abraço, Sandra