Loading...

quinta-feira, 15 de julho de 2010





Meu coração
a repousar
no jardim,
onde cultivo
as flores
de mim ...

4 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Atrairá beija-flor e borboleta!

Beijo,
Doce de Lira

Nilson Barcelli disse...

Poucas palavras, mas com enorme profundidade.
Que poderia ser traduzido por "nós é que fazemos a cama onde nos deitamos"...
Querida amiga, bom fim de semana.
Beijo.

fragmentos disse...

Texto lírico de uma doçura e melancolia (a partir de minhas referências) impecáveis.A ilustração bem à caráter.Bjosss....

Leca disse...

Adorei suas belas...
e profundas...palavras...
beijos
Leca

Perdidamente...
Poesia de Florbela Espanca

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!