Loading...

sábado, 19 de junho de 2010

SARAMAGO





Passado, Presente, Futuro


Eu fui. Mas o que fui já me não lembra:
Mil camadas de pó disfarçam, véus,
Estes quarenta rostos desiguais.
Tão marcados de tempo e macaréus.

Eu sou. Mas o que sou tão pouco é:
Rã fugida do charco, que saltou,
E no salto que deu, quanto podia,
O ar dum outro mundo a rebentou.

Falta ver, se é que falta, o que serei:
Um rosto recomposto antes do fim,
Um canto de batráquio, mesmo rouco,
Uma vida que corra assim-assim.
(José Saramago, Os Poemas Possíveis)





** A tristeza se abateu ...

Pequena homenagem a este ícone da literatura

2 comentários:

Bruno Cava disse...

Gostei, Cria!
Saramago, o título.
Antes de morrer, disse: "agora vou ao nada, meus átomos se dissiparão". Sempre há heroísmo na morte do ateu.

SolBarreto disse...

Lindo!
Adorei a homenagem...